Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Pode pintar Renato Gaúcho. A opinião de seis comentaristas sobre ele e Cuca; prós e contra

Foto: twitter.com/oficialsala12

Comentaristas do blog, diga-se! Que sem dúvida, são tão bons e melhores que muitos que ocupam espaços importantes da mídia verde e amarela.

Baseado em tudo que já vi e vivi no futebol a escolha mais importante de um clube, depois do presidente, é o treinador. Aí vem o goleiro e depois o armador; se for um craque, pronto; os títulos virão. São peças fundamentais para se formar um time com grandes pretensões. E se não houver sintonia fina, geral, nada feito. Nenhum deles pode errar muito. Se errar dentro da cota, sem problemas. O Galo está na hora “da onça beber água”. Não pode errar no treinador para a temporada que está perto de começar.

Gosto muito do Cuca. Fosse eu o presidente, esqueceria as pisadas na bola que ele deu na preparação para o Mundial de Clubes em 2013. Mas sei que há outros entraves e a sua vinda está muito difícil. Também gosto do Renato Gaúcho, mas ele precisa vestir verdadeiramente a camisa. Do Atlético e de Minas, e não repetir o estilo “diretor de estatal” e burocrático do Sampaoli.

A esta altura dos acontecimentos até acho que ele pode já estar contratado. Será que a atual diretoria atleticana esperaria tanto tempo para ir atrás de um treinador, perto de começar a temporada 2021? Possivelmente deve estar aguardando apenas a decisão da Copa do Brasil para anunciarem. E o Grêmio, organizado que é, possivelmente, já deve estar com o sucessor do Renato também acertado.

Até saírem os anúncios oficiais, vejam o pensam sobre o assunto seis atuantes comentaristas aqui do blog:

Carlos Henrique

Que venha um técnico logo, se for um português bom ótimo
ou um brasileiro mesmo
Renato é uma mala, chato mas o melhor na atualidade
Gosto do Cuca, para ajustar time ou montar è bom
Renato mais boleiro e sempre tem o grupo na mao
vamos ver quem vem

 

Maurício Souza – Bairro Serrano

Só falo uma coisa, depois que o Galo ganhou do Grêmio aqui no Mineirão, na entrevista coletiva, o Renato tratou o Galo o tempo todo como o adversário. Toda hora que teria que falar Galo ou Atlético ele falava adversário, outro dia ele perdeu para o framengo e na coletiva ele, sempre dizia que o framengo é isso, framengo é aquilo, só uma coisa que ficou marcado na minha opinião nas entrevistas coletivas dele, notei também que no dia que ele perdeu para o Internacional, ele sempre tratou o Inter como adversário (notem ele não pronuncia o nome), sinal que ele não gosta do Inter, mas isso é conhecido de todos.

 

Renato César

Falando sobre verdades, dos nomes especulados por quem de fato tem informações, Renato Gaúcho é o mais interessante na minha opinião. Está alinhado com esta política de não abastecer mídia não oficial, tem carisma com jogadores não perdendo vestiário e sabe a hora de jogar por resultado.

Outra coisa: ele nunca foi campeão brasileiro. Acredito que o Galo dará todas as condições para ele conquistar seu primeiro e deverá vir com “sangue nos olhos”.

Não simpatizo com a pessoa, mas parece ser o nome certo hoje.

 

Paulo César “Capitão”

Desta lista, talvez Renato seja o mais indicado. Até concordo com os argumentos do Procópio. Resta saber com qual motivação ele viria treinar o Galo. Sou daqueles que acredita que, para dar certo, o profissional precisa, mesmo que MOMENTANEAMENTE, passar a literalmente torcer pelo clube. Não sou ingênuo em acreditar que Cuca SEJA atleticano, ou Mano, cruzeirense. Mas quando trabalharam por aqui, abraçaram a causa (diferentemente do Sampaoli, que, como disse o dono do blog, parecia um burocrata prestando seu serviço). Se Renato quiser se juntar de corpo e ALMA, será bem-vindo. Se quiser usar o Galo como trampolim para treinar o Flamengo e voltar ao RJ, ou estiver seduzido apenas pelas vantagen$$$ pecuniária$$$, muito obrigado e segue sua vida. Tomara que os mecenas tenham esta sensibilidade.

 

Raws Miranda

Cuca ou Renato.
Os dois tem bom nível, mas queria ver Renato por ser novidade aqui e por achar que jogador não passará por cima dele. Sem a mínima vontade de ser arrogante, a realidade é que, com o atual plantel do Galo, “muito ajuda quem não atrapalha”, ou seja só se dará mal aqui, o técnico que fizer muita besteira.

 

Fred BH

Renato sempre foi antipático com o Galo, como jogador e como técnico. Boa parte da torcida atleticana não engole esse cara, e com razão. É o tipo de contrato inviável, porque ele não terá paz em BH, aos primeiros resultados ruins a torcida vai pegar no pé, ele vai responder com alguns palavrões, até não ter clima e a diretoria demitir. Ai vai repetir o erro de, no meio da temporada, ficar procurando técnico novo. Se o novo presidente for esperto, não traz esse problema pro Galo.


A força de um lobby: só por ser citado como possível no Galo, “Gordiola” foi para as páginas internacionais. Agora se fala no zagueiro Dedé

Dia 16 de fevereiro, Guto Ferreira assinou a renovação do contrato com o Ceará, até dezembro deste ano. Foto: twitter.com/CearaSC

O “futebol comercial” (salve Zé Luiz Gontijo) ficou igual ao mercado financeiro. Uma simples declaração de alguma autoridade costuma mexer na cotação do dólar e na bolsa de valores. Encomendadas ou não, notícias, entrevistas ou uma frase costumam mudar a vida de muita gente. A citação do Guto Ferreira como um dos nomes cotados para dirigir o Atlético, jogou o nome do atual treinador do Ceará até na imprensa internacional. Virou manchete na Argentina, ainda que meio na base da gozação, quando se referiram a ele como “Gordiola”.

Empresários ou agentes de jogadores, treinadores e mais recentemente  “diretor executivo de futebol” têm parceiros estratégicos nos veículos de comunicação e são muito ágeis. Com rede social então, virou uma festa, incontrolável. Essa turma dá trabalho extra e põe comunicadores sérios no mesmo balaio dos picaretas, que pegam um troco para irrigar essas plantações de notícias. Se sai em algum lugar o jornalista correto tem que dar pelo menos uma meia dúzia de telefonemas, checar com fontes confiáveis, para depois dizer ao seu leitor/ouvinte/telespectador, se a notícia é verdadeira ou falsa.

Joga-se o “barro na parede”, às vezes cola. Ano passado, quando andaram dizendo que o lateral Dodô estava na mira do Atlético, duvidei. O assunto esfriou, mas depois voltou quente, e era verdade. O Galo acabou contratando. Vamos ver no que vai dar.

De ontem pra hoje, o papo é sobre o zagueiro Dedé, que muita gente pensava já ter encerrado a carreira. Assim como Dodô, acionou o Cruzeiro na Justiça do Trabalho, no caso dele, reivindicando mais de R$ 30 milhões. Chegou a alegar que estava vivendo em situação semelhante a trabalho escravo! Pergunto: “pode isso, Arnaldo?”.  Como diz o Adilson: “vamos aguardar”!

Voltando a Guto Ferreira, o Uol de hoje falou sobre o destaque que o nome dele recebeu na Argenina:

* “Argentinos descobrem ‘Gordiola’ brasileiro ao citarem saída de Sampaoli”

Nas últimas horas, o nome de Guto Ferreira ganhou destaque na imprensa argentina, que destacou possíveis substitutos de Jorge Sampaoli no Atlético-MG. Na verdade, não foi muito bem o nome do treinador que virou manchete. Isso porque o Olé, um dos principais veículos do país, aderiu ao bom humor brasileiro ao identificar Guto como “Gordiola”, apelido que o atual técnico do Ceará recebeu nos últimos tempos que “mistura” Pep Guardiola e sua própria forma física.

“Gordiola vai para o lugar de Sampaoli no Atlético?”, estampou uma reportagem no jornal que resumiu o trabalho do argentino no clube mineiro. O Olé, aliás, afirmou que as ideias de futebol de Guto são pouco parecidas tanto com as de Guardiola quanto com as de Sampaoli. “Guto, que hoje dirige o Ceará, tem um estilo contrário ao de Sampa. Aliás, sua atual equipe é uma das duas com menor percentual de posse deste Brasileirão. Seu modelo de jogo é baseado em defender em blocos baixos”, publicou o jornal…. – (mais…)


América renova comando, mas Salum e todos os que vêm ajudando no crescimento do clube continuam integrados

Glauco Xavier, Ricardo Raso, Alencar da Silveira Junior, Euler Araújo e Américo Gasparini Filho

Ontem o Conselho Deliberativo do Coelho ratificou as mudanças que vinham sendo acertadas desde o fim de 2020. Até para passar o bastão, Marcus Salum foi brilhante, anunciando com a devida antecedência que não iria se candidatar  à reeleição, dando tempo suficiente para que as principais lideranças encontrassem o nome certo para sucedê-lo e demais nomes para ocupar os postos estratégicos na diretoria. Agora o Alencar da Silveira Jr., e equipe já estão correndo para atender ao técnico Lisca visando montar um time competitivo para a Série A 2021.

No site  do clube as informações sobre a reunião de ontem: 

* O América conheceu, na noite desta segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021, os membros dos poderes sociais do Clube para o triênio 2021-2023. Além da nova composição do Conselho de Administração, foram igualmente eleitos nesta noite os membros do Conselho Deliberativo, do Conselho de Ética e Disciplina e do Conselho Fiscal para o triênio 2021-2023.

Os associados aptos a votar no pleito desta segunda-feira elegeram a Chapa ‘América Série A’ para o Conselho de Administração com um total de 123 votos a favor. Houve ainda apenas 1 voto em branco e 1 voto nulo. Os cinco novos membros são: Alencar Magalhães da Silveira Junior, que será o presidente do Conselho, Américo Gasparini Filho, Euler de Almeida Araújo, Glauco do Carmo Xavier e Ricardo Afonso Raso. A nova chapa tomará posse a partir do dia 1º de março.

Alencar da Silveira, novo presidente do Conselho de Administração, enalteceu a forte união entre os dirigentes e o objetivo de continuidade de um bom trabalho já feito dentro do Clube.

“Será um trabalho de continuidade, que começou há mais de uma década. O América é uma família só. É uma responsabilidade redobrada, tínhamos deixado o América na Série A em 2017 e pegamos o América na Série A agora. Quero agradecer muito ao Salum pelo trabalho por todo esse tempo, como também o Anderson Racilan, o (Marco) Batista, o Dower (Araújo) e o Fabiano Jardim. De igual modo, agradeço aos que estão chegando com a gente para a nova gestão. É um desafio com expectativa muito maior, sabendo de todas as dificuldades, mas jogando o América para cima, mostrando que o América é um grande clube e cada vez melhor com a ajuda de todos”, declarou Alencar.

Para o Conselho Deliberativo, Conselho de Ética e Disciplina e Conselho Fiscal participaram 142 conselheiros. Com uma adesão histórica de 94% dentre todos os membros aptos a votar, o pleito desta noite ficou também marcado por ser a primeira eleição da história do futebol mineiro a ser realizada em plataforma virtual. A empresa especializada Tafner foi a responsável por propiciar o pleito digital.

Flávio Drummond foi o presidente da Comissão Eleitoral no pleito atual. Ele comentou sobre o sucesso da eleição virtual e o grande envolvimento dos membros aptos a votar.

“Foi um período de duas semanas de trabalho intenso para levantarmos todas as informações requisitadas pelo pessoal da Tafner. Mas foi muito gratificante, tivemos todo o apoio da administração do Clube. Os associados entenderam que essa era a forma ideal para a realização da eleição dos novos membros dos poderes sociais do Clube. Tivemos uma grata surpresa de uma participação de 94%, um índice bastante alto que deixa todos bastante satisfeitos”, avaliou o presidente da comissão.

Confira abaixo os nomes dos membros eleitos para as novas gestões do Conselho de Administração, Conselho Deliberativo, Conselho de Ética e Disciplina e Conselho Fiscal.

  • CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO:
    Alencar Magalhães da Silveira Junior
    Américo Gasparini Filho
    Euler de Almeida Araújo
    Glauco do Carmo Xavier
    Ricardo Afonso Raso
  • CONSELHO DE ÉTICA E DISCIPLINA:
    Carlos Alberto Reis de Paula – Efetivo
    Eurico Gustavo dos Reis Cruz – Suplente
    José Aurélio Tofani Silva Cassimiro – Efetivo
    Luiz Roberto Filizzola – Suplente
    Ronaldo Lana e Silva – Suplente
    Vitório da Silveira Leone – Efetivo
  • CONSELHO FISCAL:
    Bruno Augusto dos Santos Baltazar – Efetivo
    Cristiano de Almeida Rodrigues – Efetivo
    José Ulisses Vaz de Mello – Efetivo
    Marcus Monerat Toledo Machado – Suplente
    Thiago Andrade Amaral Gonçalves – Suplente
    Tiago Vladimir Chiari Diamantino – Suplente
  • CONSELHO DELIBERATIVO:
    Adriano Drumond
    Air Soares Mazzinghy
    Alberto José Salum
    Alexandre Quintino Santiago
    Alexandre Tafuri
    Álvares Cabral da Silva
    André Drumond
    André Vinicius Coscarelli Salum
    Andrea Faria de Magalhães
    Antônio Armando dos Anjos
    Antônio Carlos Lanna Drumond
    Antônio Egg Resende
    Antônio Oswaldo de Santiago Baptista
    Antônio Pereira Souza Filho
    Antônio Xavier Amaral
    Arthur Eduardo Savassi Biagioni
    Augusto Campos de Rezende
    Caetano de Vasconcellos Neto
    Caio Márcio Salum
    Calos Alberto Passos Gomes Junior
    Carlos Alexandre Guadelupe Vogas
    Cristiano Emery Alves
    Diogo Junqueira Reis Brant Papa
    Edmundo Antônio Lanna Drumond
    Eduardo Canals
    Eduardo Georges Mesquita
    Eduardo José Corrêa
    Flávio de Carvalho Drummond
    Frederico Ozanam Ramos Júnior
    Guilherme Eduardo Reis da Silveira Neto
    Gustavo Chaves Carreira Machado
    Gustavo de Oliveira Tafuri
    Henrique da Silveira Sardinha Pinto
    Hermes Andrade Ávila
    Hugo Pereira Goretti
    Humberto Guimarães Bernardes
    Ilceu Eustáquio de Carvalho
    Jacques Ernest Levy
    Jair Alves
    Jairo Viana Júnior
    João Batista Cândido
    João Bosco Nunes de Miranda
    João Bráulio Faria de Vilhena
    João Evandro Tafuri
    João Gomes Dutra Neto
    João Marcelo Silva Vaz de Mello
    Jorge Laboissière
    José Alves Machado
    José de Assis Santiago Neto
    José de Melo
    José Eduardo Lanna Valle
    Lauro Magno Agrizzi
    Leonardo Antonio dos Santos Baltazar
    Leonardo José Galindo
    Lucas Caetano de Leucas Machado
    Luciana Faria de Magalhães
    Luis Gustavo Camillo dos Santos
    Luiz Roberto Pereira Moreira
    Marcelo Abrahão Salum
    Marcelo Antonio dos Santos Baltazar
    Marcelo Emery Alves
    Marcelo Laboissiere
    Márcio Nazaret Pinheiro
    Marco Antônio Raso
    Marcos Juliano Lucas Carvalho
    Marcos Machado de Freitas
    Marcos Novaes de Souza
    Nelson Rigotto de Gouvêa
    Nilson de Andrade
    Olavo Keesen
    Olinto Pereira de Mello
    Paulo Américo Roscoe Papini
    Paulo Roberto Lanna Drumond
    Paulo Rogério Machado
    Pedro Francisco Chagas Lucca
    Pedro Moraes Raso Sardinha Pinto
    Pedro Paulo dos Santos Friche
    Rafaela Coscarelli Salum
    Raphael Drumond
    Renato Leal Paixão Raso
    Roberto de Azevedo Vasconcelos Melo
    Roberto Eduardo Salum
    Roberto Marques Grochowski
    Rodrigo Antonio dos Santos Baltazar
    Sandro Drumond Machado
    Sandro Torres Gomes
    Selem Safar Teixeira Pinto
    Sérgio Isaias Soares Meira
    Sérvio Túlio de Barcelos
    Thiago Abrahão Salum
    Thiago Reis Pereira
    Wantuil Carvalho do Prado
    Zagma Maria da Silva Santos Baltazar
    Zaner de Araújo Abreu
  • https://www.americamineiro.com.br/2021/02/22/chapa-america-serie-a-e-eleita-para-o-trienio-2021-2023-do-conselho-de-administracao/

De Renato Gaúcho a Guto Ferreira, passando por Cuca e André Villas Boas. Os nomes especulados para o lugar de Sampaoli

Foto: twitter.com/Gremio

Neste momento a troca de telefonemas é intensa entre dirigentes, empresários, corneteiros e atravessadores de todo tipo, no lobby para indicar o novo técnico do Atlético. Nas redes sociais, chutes e palpites. Saiu até o nome do Guto Ferreira, o “Gordiola”.

Gosto das opiniões do Procópio Cardozo, que conhece o mundo do futebol dentro e fora das quatro linhas, como jogador, treinador e dirigente. Ele gostaria de ver Renato Gaúcho no Galo e apresenta argumentos incontestáveis @procopiocardozo: “Investir no Renato Gaúcho é um grande negócio. Ele está há 5 anos lançando jogadores, montando grandes times, ganhando títulos e gerando receita para o Grêmio. Eu acho o Renato espetacular. Tem comando, conhece tudo no futebol e se faz respeitar. Ganhou Copa do Brasil, Libertadores, Recopa e 3 Gauchões em 5 anos. Manteve um time competitivo nesse período todo e ainda gerou receita. Anteontem o Grêmio vendeu mais um por 15 mi de Euros.”

Pois é. Também gosto do Renato, assim como gosto do Cuca.

O Superesportes pôs no ar uma enquete, com a pergunta: “Com a saída de Jorge Sampaoli, qual treinador você gostaria de ver no comando do Atlético?”

E apresentou os seguintes nomes: André Villas-Boas (português), Cuca, Fernando Diniz, Leonardo Jardim (venezuelano/português), Marco Silva (português), Miguel Ángel Ramírez (espanhol) e Tiago Nunes.

Destes, gosto mais do Miguel Ángel Ramírez, espanhol estudioso, que rodou bastante, apesar de apenas 36 anos, trabalhando entre categorias de base e profissionais, pela Espanha, Grécia e Qatar, mas que alcançou sucesso mesmo foi no Equador, campeão da Copa Sul-americana 2019, comandando o Independiente Del Valle.

Para mim, Fernando Diniz é um “Sampaoli” sem grife. Ataca muito, mas não sabe defender. Tiago Nunes precisa mostrar mais serviço. Fez bonito no Athlético-PR, mas fracassou no Corinthians, o primeiro time grande que dirigiu.

André Villas Boas é um arrogante. Tem a pretensão de  ser um novo Mourinho, de quem foi auxiliar, mas está longe. O Chelsea investiu uma fortuna nele e não deu certo.

Marco Silva deve estar sendo plantado por algum agente muito competente.

Leonardo Jardim nasceu na Venezuela mas suas raízes são lusitanas. Se destacou no Olympiacos, da Grécia, em 2013, quando chegou a liderar o campeonato com  dez pontos de diferença. Foi demitido por causa das fofocas em Atenas, que diziam que ele tinha um caso com a mulher de um dirigente do clube.  Depois para o Sporting Lisboa, segundo lugar no campeonato português 2013/2014. E fez bom trabalho também no Mônaco, até 2019.


Rádio Super, Jornais O Tempo e Super Notícia reforçam o time, contando agora com Cadu Doné e Bruno Voloch

Cadu Doné e Bruno Voloch passam a fazer parte do time do SUPERFC — Foto: Reprodução

Sucesso aos dois grandes profissionais. Cadu Doné é um dos melhores analistas de futebol da nova geração da imprensa brasileira. Voloch sabe tudo de vôlei. A notícia completa no SuperFC:

* “Bruno Voloch e Cadu Doné reforçam equipe do SUPER.FC

Frederico Jota
@otempo

Comentaristas terão colunas nos jornais impressos e participarão da programação da rádio Super 91,7 FM, sempre com análise aprofundada e muita informação

A equipe de esportes dos jornais Super Notícia, da rádio Super 91,7 FM e do portal O Tempo ganhou dois reforços de peso para a temporada 2021. Bruno Voloch, referência nacional na cobertura de vôlei, e Cadu Doné, um dos comentaristas esportivos mais respeitados de Minas Gerais, agora fazem parte de um time que já é bem forte e fica ainda mais poderoso com essas novidades. Ambos terão colunas nos jornais impressos e participarão da programação da rádio Super 91,7 FM, sempre com análise aprofundada e muita informação. Conheça um pouco mais da história dos dois novos integrantes da equipe.

Cinco Copas do Mundo e seis Jogos Olímpicos

Com mais de 20 anos de carreira, Bruno Voloch é uma grande referência na cobertura de vôlei no Brasil. Já passou por veículos como Uol, “O Estado de S. Paulo”, Bandnews FM, Gazeta Esportiva e rádio Gazeta News, além de SporTV/TV Globo, “Extra” e “O Globo”.

O jornalista cobriu nada menos do que seis edições dos Jogos Olímpicos e cinco Copas do Mundo. Seu blog, hospedado em vários veículos de credibilidade de todo o país, é um dos mais lidos no Brasil, sempre com material informativo e bastidores do esporte.

Pela primeira vez, Bruno Voloch vai trabalhar em um veículo fora do eixo Rio-São Paulo. “É um novo desafio. Vou trabalhar em um grupo sólido”, comentou. Voloch ressaltou também a força do vôlei de Minas Gerais. “Hoje, cerca de 50% dos clubes que disputam as fases decisivas das Superligas são de Minas”, pontuou. No momento, o Sada Cruzeiro lidera a Superliga masculina, e Minas, Montes Claros América e Azulim Uberlândia estão entre os clubes que se classificariam para as quartas de final. Na Superliga feminina, os dois primeiros colocados são mineiros: Itambé Minas e Dentil Praia Clube.

Voloch terá sua coluna atualizada diariamente em www.otempo.com.br/superfc, publicará vídeos diários nas nossas redes sociais, além de duas colunas durante a semana (terças e quintas) nos jornais O TEMPO e Super Notícia.

Um dos mais respeitados de Minas Gerais

Um dos comentaristas esportivos mais respeitados de Minas Gerais e profundo conhecedor do futebol mineiro, Cadu Doné vai trazer toda essa experiência para a equipe de esportes de O TEMPO, Super Notícia e rádio Super 91,7 FM. Com passagem pela rádio Itatiaia e também pelos jornais “Hoje em Dia” e “Metro”, além da Band Minas, Cadu estará presente nas transmissões dos jogos e programas da Super 91,7 FM, publicará vídeos diários em nossas redes sociais e terá três colunas durante a semana nos dois jornais da Sempre Editora. Cadu também poderá ser lido em nosso portal (www.otempo.com.br/superfc).

Para Cadu, trabalhar no maior grupo multimídia de Minas Gerais é um sonho para qualquer jornalista. “Escreverei em dois dos jornais mais lidos no Brasil, atuarei no portal que mais gera repercussão no nosso Estado e integrarei a equipe de uma rádio que tem crescido de forma exponencial e consistente”, disse. (mais…)


Vitória e bagunça no fim do jogo em Recife mostraram muitas coisas boas e ruins do Galo e do Sport na temporada

Jogo fim de feira absoluto, mas até que foi bom com a bola rolando. Confusões dentro e fora de campo, sempre fizeram parte. Apesar da chatice de muitos pretensos intelectuais da mídia que tagarelam coisas, tipo “lamentáveis essas cenas”, e eteceterca e tal. Tudo faz parte. Inclusive o teatro do Sampaoli, de tomar cartão amarelo desnecessário e ser expulso, deixando uma imagem ruim na sua possível despedida do futebol brasileiro. Por outro lado, Jair Ventura vai conseguindo se ressuscitar. Sumido do cenário principal, depois de um bom tempo, ressurge como salvador do Sport que era dado como rebaixado.

O Dr. André Pelli, grande curvelano, atleticano, que se recuperou bem da Covid-19, explicou com maestria o que foi o Atlético esta tarde: @delegadoandre “E o Sampaoli resolveu abrir definitivamente sua caixinha de maldades… faz 4 das 5 substituições possíveis (não pode fazer mais) e não coloca o Tardelli no jogo… para constar, ver o Tardelli no jogo era vontade de 10 entre 10 atleticanos…”

A vitória no apagar das luzes confirmou o que já escrevi aqui dias atrás: Marrony foi uma das melhores aquisições do Atlético nesta temporada que se encerra, mas foi muito mal aproveitado pelo Sampaoli.

No empate do Sport, se o Thiago Neves tivesse batido o pênalti tão bem contra o CSA no dia 28 de novembro de 2019, o Cruzeiro possivelmente teria escapado do rebaixamento. Faltavam três rodadas para acabar o campeonato e aquela derrota de 1 a 0 em pleno Mineirão, foi crucial. Mas ele bate muito bem, como nestes 2 a 3 com o Atlético em Recife.


E lá se vai Jorge Sampaoli, curtir o azul turquesa do mar mediterrâneo de Marselha, sem deixar saudade nas montanhas de Minas

Minas Gerais e Belo Horizonte ficam marcados na vida de Jorge Sampaoli, cujo filho Bento nasceu na capital mineira, dia oito de fevereiro. Foto reproduzida do Instagram

Torcedores brasileiros desembarcam na Estação Saint-Charles, de Marselha, em 1998.

***

Ele já devolveu a bela casa de Lagoa Santa à imobiliária, o mesmo acontecendo com seus auxiliares e seus imóveis alugados em Belo Horizonte e Nova Lima. Só ainda não bateu martelo com a diretoria do Atlético porque negocia a saída sem pagamento de multa. Isso poderá ocorrer, caso o time se classifique direto para a Libertadores, ficando até em quarto lugar no Brasileiro. O contrato prevê um prêmio, e se isso ocorrer, o valor, em torno de R$ 4 milhões, é semelhante ao que ele teria de pagar de multa rescisória.

Sampaoli fecha com Olympique e vai à França em 26/2…” informou o Guilherme Piu, ótimo jornalista do Uol, na manhã deste domingo.

Cada um sabe onde o calo aperta e cuida da sua vida. Morar na França, receber um gordo salário em euros é altamente atrativo para qualquer mortal, principalmente Sul-americano. Dirigir um grande clube europeu, morar numa cidade como Marselha, vixe! É tudo que o senhor nascido em Casilda, nos arredores de Rosário, província de Santa Fé/Argentina, gostaria. Claro que ficou fascinado com a ideia, e que seja feliz lá. Se não teve interesse em aprender um mínimo de português no Santos nem no Galo, certamente vai se esforçar e contratará uma boa professora de francês para se virar na “Provence”. Já o imagino fazendo biquinho e trejeitos para se comunicar à beira dos gramados com os seus jogadores. Também para pedir comida nos restaurantes, comprar no comércio em geral ou se informar e pegar trens nesta estação de Saint-Charles, da foto acima. Os franceses, com razão, fazem muita questão do seu idioma.

Tive o prazer de conhecer Marselha na Copa da França em 1998. A seleção do Zagallo venceu a Noruega lá, 3 a 2. Sampaoli poderá pegar sua bicicleta ou sair à pé pela Avenida Prado, tomar o Boulevard Michelet e chegar ao estádio Vélodrome, curtindo a brisa e a beleza do Mar Mediterâneo. Se não cometer as esquisitices nas escalações diferentes, a cada jogo, do Olympique, como fez no Atlético, poderá durar bastante lá. Mas é bom não desfazer logo as malas e nem alugar casa por período muito longo. Se os resultados não chegarem logo, a demissão é garantida, sem a paciência e tratamento privilegiado que tem por aqui. Aliás, esta “paciência”, só ocorre por que a torcida não pode comparecer aos jogos. Se pudesse, ele e a diretoria não teriam suportado a pressão.

Desejo sucesso ao Sampaoli na sequência da carreira dele. Não deixa saudades por aqui, mas inegavelmente é um bom treinador. Não aquilo tudo que quer fazer parecer, mas é bom sim. Sobre este um ano dele no Galo, penso muito parecido com o Alexis Campos Alves, que me enviou este e-mail depois do ridículo 1 a 1 com o Bahia no Mineirão:

* “É, meu caro Chico…

Já faz alguns anos nos quais o Atlético fica refém de treinadores arrogantes e insensíveis às manifestações da torcida e da imprensa. Diego Aguirre, Levir Culpi em sua última passagem pelo clube, Dudamel e agora Jorge Sampaolli.

Com Zaracho (que custou seis  milhões de dólares) e o ídolo artilheiro Tardelli no banco, Sampaolli aceita o empate com o Bahia) tendo ainda o direito a realizar duas substituições, sem apresentar nada de diferente pra quem exigiu tanto. Seria uma tentativa de provocar a demissão pra não pagar a multa rescisória? Ou apenas a constatação de que é um técnico supervalorizado com um ego maior que ele mesmo?

Independentemente das razões, creio que a tal cláusula de desempenho deveria ser obrigatória não só para jogadores, mas para técnicos também. Qualquer trabalhador comum que demonstre tanto desinteresse em suas atividades e apresente resultados tão pífios sem o mínimo de autocrítica seria demitido.

Lembro-me do time que chegou à final do Brasileiro em 1999, muito mais barato, porém extremamente mais empenhado em campo. Ou, alguns anos depois, Márcio Mexerica fazendo mais gols que Vargas e Sasha juntos.

Não é apenas a arbitragem que precisa de profissionalização, os gestores também. Como diz a Gabriela Priolli (advogada, apresentadora de TV): menos paixão e mais razão. No milionário negócio futebol, a obrigação de dar resultados não é uma questão apenas ética. Precisa estar registrada em contrato”.

Grande abraço!!!

Alexis Campos Alves

***

No intervalo de Brasil x Noruega em 1998, o Francês, da Torcida Máfia Azul, zoa a mim e ao Haroldo Ferreti (em frente), também atleticano, baterista do Skank. À direita o Henrique Portugal, tecladista, um dos ícones cruzeirenses na banda. A música Uma partida de futebol” era uma das escolhidas pela FIFA para tocar, antes, no intervalo e depois de todos os jogos da Copa da França.


A importância da D. Miguelina no sucesso do Ronaldinho Gaúcho no Atlético

O presidente que trouxe Ronaldinho Gaúcho se manifestou no momento da maior tristeza da família do eterno ídolo do Galo: @alexandrekalil “Ronaldinho, meu filho, eu sei o que é perder uma mãe. Meus sentimentos nesse momento tão difícil.

O Atlético decretou luto:@Atletico “Clube está de luto pela morte de dona Miguelina: http://bit.ly/3pMReWd É com enorme tristeza, que o Clube Atlético Mineiro recebe a notícia do falecimento de Dona Miguelina, mãe de @10Ronaldinho

***

Ronaldinho Gaúcho voltou a ser feliz em  Belo Horizonte e voltou a alegrar o mundo do futebol com a sua arte e genialidade. Em 2012, quando a D. Miguelina foi diagnosticada com câncer, a sintonia fina entre ele, o Atlético e a capital mineira foi selada. Ele nunca tinha visto tanta solidariedade e tantos gestos de carinho. Nem sonhava que isso existisse no mundo cruel do futebol, onde o que importa é dentro de campo, sobretudo as vitórias e conquistas. Andava deprimido, caindo de produção. Até o dia em que entrou no gramado, viu e ouviu a massa do Galo estampando faixas e gritando palavras de força e carinho à D. Miguelina.

Naquele dia, ainda no estádio, ele disse: “…vou com essas caras (a torcida) até o fim, e vamos dar muitas alegrias a eles…”

O grande jornalista e escritor, Fred Melo Paiva, lembrou o fato:

@fredmelopaiva “Dona Miguelina virou personagem da crônica atleticana quando a Galoucura levantou uma bandeira dela e o Ronaldinho chorou. Ela estava com um câncer, foi muito bonito. “Agora eu vou com eles até o final”. E o Galo foi campeão. Viva dona Miguelina!

A gratidão e sintonia do Ronaldinho e família com o Atlético não pararam ali, como descreveu o Custódio Pereira Neto, uma das principais lideranças do Consulados do Galo pelo mundo, e da Cariogalo: @CustodioTodinho “Em 30/09/19, Dona Miguelina foi homenageada pelo Dr. @Gropen no Conselho Deliberativo do @Atletico. Com sensibilidade, @chico_pinheiro a entrevistou e ela falou da força recebida da torcida em 2012 e do filho @10Ronaldinho, inesquecível na história do Galo.”

E o próprio ex-presidente do Conselho, Dr. Rodolfo Gropen, também  se manifestou ontem, lembrando  tudo: “@gropen “Na era mais vitoriosa da história do @Atlético, da qual tive a honra de participar sob o comando do @alexandrekalil, conheci a Dona Miguelina, mãe do @10Ronaldinho. Testemunhei o valor dela para o R10 na trajetória no Galo. Feliz eu fui por homenageá-la no Conselho do CAM.”

No Brasil e mundo afora, instituições, jogadores, ex-jogadores e torcedores têm manifestado solidariedade à família, como o Grêmio, o ex-craque do Cruzeiro e Palmeiras, Alex10.

Grêmio FBPA

@Gremio “Nossos sentimentos à família Assis Moreira pelo falecimento de Dona Miguelina. Que família e amigos encontrem conforto neste momento de dor.”

Alex de Souza

@Alex10 “Mta luz ao  @10Ronaldinho e sua família. Meus sentimentos a toda família Assis #ripDonaMiguelina

O nosso Democrata de Sete Lagoas lembrou de grandes atuações do Ronaldinho na Arena do Jacaré e também manifestou apoio neste momento de dor:

“Queríamos mostrar essas imagens em um momento de alegria. Que sejam um conforto nesse momento de dor. Pra nosso orgulho, você brilhou também aqui na Arena do Jacaré,. #ForcaRonaldinho


E lá se foi o José Marcelo, grande locutor do Vale do Aço

José Marcelo, à esquerda, carregando a mala de equipamentos da Rádio Inconfidência, com o Afonso Alberto, em Guanajuato/Guadalajara, chegando para o treino da seleção brasileira durante a Copa do México de 1986  

Foi quarta-feira, mas só fiquei sabendo ontem, ao ler a coluna Fernando Rocha, no Diário do Aço, de Ipatinga, que vai circular amanhã. Zé Marcelo Ângelo Filho (61) anos era um ótimo narrador e uma pessoa muito querida por todos, especialmente do nosso meio jornalístico. Trabalhou nas principais rádios do Vale do Aço e o seu último vínculo profissional foi com a Educadora de Cel. Fabriciano. Na Copa do Mundo do México, em 1986, transmitiu alguns jogos para a Rádio Inconfidência, integrado à nossa equipe, numa parceria com a Rádio Educadora, que estava na cadeia de emissoras comandada pela Inconfidência. Que descanse em paz o caro Zé Marcelo, uma grande figura humana.

Com ele no elevador do hotel da Rádio Inconfidência em Guadalajara 

A nota na coluna do Fernando Rocha, no Diário do Aço: “O rádio-esportivo mineiro, em especial do Vale do Aço, está de luto pelo falecimento na última semana do narrador, José  Marcelo Ângelo Filho, o nosso eterno “Garotinho”, vítima de um câncer na garganta. Com passagens marcantes pelas três principais emissoras da região, – Educadora, Vanguarda e Itatiaia -, foi durante décadas referencia nas transmissões de futebol pelo rádio, sobretudo em jogos épicos do Social de Fabriciano. Conviví pouco tempo com José Marcelo, durante sua curta passagem pela Rádio Vanguarda, mas o suficiente para admirá-lo como uma pessoa do bem, além do grande profissional, que fará muita falta em nosso meio. Que Deus o receba no andar de cima, com a certeza de que uma hora dessas a gente volta a se encontrar. “As pessoas não morrem, ficam encantadas… a gente morre é para provar que viveu.” João Guimarães Rosa

A Rádio 97,1, afiliada da Itatiaia, do Vale do Aço deu mais detalhes:

Foto: Social F. Clube

“Morreu na tarde desta quarta-feira (17) na cidade de Ponte Nova, o narrador esportivo, José Marcelo, o “Garotinho”. De acordo com a família, ele tratava de um câncer desde o ano passado.”

https://97fmvale.com.br/ouca-morre-o-locutor-esportivo-jose-marcelo-o-garotinho-do-vale-do-aco/


E lá se foi o Joãozinho Maradona, que fez sucesso no Uberaba e em outros times nos anos 1980

Tive o prazer de entrevistá-lo, nos bons tempos da Rádio Capital, em meu começo de carreira em Belo Horizonte. O Uberaba era um time fortíssimo, respeitado pelos grandes de Minas e de qualquer estado do Brasil. Obrigado ao Roberto Tibúrcio, Agente FIFA, que me enviou a notícia, que está no site Futebol Interior:

“LUTO! Covid 19 mata em Ribeirão Preto ex-meia que foi ídolo no interior mineiro”

* O ex-meia Joãozinho Maradona, que fez sucesso nos anos 1980 com a camisa do Uberaba

A pandemia do corona vírus, aliada a incompetência dos governantes brasileiros, fizeram mais uma vítima ligada ao futebol. Morreu nesta sexta-feira, em Ribeirão Preto, o ex-meia Joãozinho Maradona, que fez sucesso nos anos 1980 com a camisa do Uberaba-MG.

Nascido em Ribeirão Preto no dia três de julho de 1951 e batizado João Fernandes Silva, o ex-meia tinha 69 anos e começou sua carreira no Comercial.

SUCESSO NO ITUMBIARA E ÍDOLO EM UBERABA

Sem espaço nos bons times do Comercial no início dos anos 1970, Joãozinho passou por equipes como União Bandeirante-PR e Itumbiara-GO onde destacou-se e foi para o Uberaba, participando dos melhores momentos da equipe do Triângulo Mineiro nos anos 1980 e até hoje é referenciado na cidade.

Os mais antigos torcedores do “Colorado” lembram do meio-campo formado por Vandinho, Paulo Luciano e Joãozinho Maradona, que disputou o Campeonato Brasileiro da Série A e considerado um dos melhores da história do clube.

O apelido “Maradona”, incorporado ao nome de Joãozinho, veio no Itumbiara em razão da vasta cabeleira que se assemelhava a do craque argentino.

PRESIDENTE DO UBERABA ENALTECE
O atual presidente do Uberaba, Ruy Trida, usou as mídias sociais para lamentar a morte do ex-jogador:

“O COVID levou mais um ídolo de minha infância como torcedor do Uberaba Sport. Joãozinho Maradora, hábil meia direita”.

Depois do Uberaba, Joãozinho ainda atuou no Dom Bosco-MT e Batatais, onde encerrou a carreira em 1985. Ao encerrar a carreira, Joãozinho Maradona fixou residência na região de Ribeirão Preto e vinha morando em Batatais.

https://m.futebolinterior.com.br/noticias/luto-covid-19-mata-em-ribeirao-preto-ex-idolo-no-interior-mineiro


Página 1 de 1.18312345...102030...Última »